Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
9/10/19 às 9h11 - Atualizado em 9/10/19 às 9h14

Artesãos brasilienses selecionados pela Secretaria de Turismo venderam mais de R$ 356 mil

COMPARTILHAR

Cerca de 400 profissionais expuseram e comercializaram produtos em feiras e festivais

 

Brasília 26.042019/Flores artesanais do cerrado na feira da Catedral de Brasília.Foto Luís Tajes/SETUR-DF

Entre os meses de abril e agosto de 2019, 386 artesãos selecionados pela Secretaria de Turismo do Distrito Federal (Setur-DF) movimentaram R$ 356,5 mil com a comercialização de produtos durante 28 eventos na cidade. Os profissionais são escolhidos, geralmente, por meio de chamamentos públicos que são publicados no site da Setur-DF.

 

Uma das contrapartidas exigidas pela Secretaria de Turismo aos organizadores de eventos que têm apoio do órgão é a cessão de espaços para que os artesãos possam vender seus produtos. “Turismo e Artesanato são setores que caminham juntos. Temos cerca de 11 mil artesãos cadastrados. Essa é uma das várias iniciativas que realizamos para impulsionar esse segmento da economia criativa que gera renda e que é muito procurado por turistas”, afirmou a secretária de Turismo do Distrito Federal, Vanessa Mendonça.

 

“O governo precisa ajudar os artesãos. Temos um grande número de profissionais na nossa cidade que depende do artesanato”, comentou o artesão Élsio Moriani, que há 14 anos tem como única fonte de renda o artesanato. Da madeira, o artista produz biojoias em marchetaria, acessórios de decoração, pequenos móveis e esculturas. A nova profissão substituiu o trabalho de repórter fotográfico e libertou o artista de ter um patrão. “Estava cansado de trabalhar para empresas. Fiz essa opção para ter mais liberdade”, concluiu.

 

Além das vendar realizadas durante os eventos, participar de feiras e exposições tem ajudado os artesãos da cidade a conseguirem novos clientes. “Até hoje estou atendendo encomendas que foram feitas em um evento que participei em julho. Durante as feiras vou vendendo e produzindo e depois ainda atendo novos clientes que conheci no estande”, comemorou a artesã Amauzi Fernandes, que começou a fazer crochê aos 7 anos de idade e que transformou essa arte, há 25 anos, em uma das suas fontes de renda. “Recebo uma pequena pensão e essa atividade além de complementar minha renda serve como uma terapia”,complementou Amauzi.

 

Chamamentos – Os editais de chamamento são publicados no site da Secretaria de Turismo na aba “Artesanato”. Os profissionais que se interessarem em expor seus produtos devem possuir a carteira do artesão válida. O documento é emitido pela Secretaria de Turismo e o agendamento para a renovação ou a emissão de uma nova carteirinha pode ser feita no seguinte link.