Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
1/07/13 às 15h30 - Atualizado em 11/10/17 às 16h44

Canções de Renato Russo voltam a levantar plateia brasiliense

COMPARTILHAR

Show Renato Russo Sinfônico reúne artistas nacionais e público de 45 mil pessoas no Mané 

Os jovens dos anos 80 e a atual geração coca-cola lotaram o Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha para ver, de perto, uma homenagem única ao ídolo de todas as gerações. Em cerca de uma hora e meia de show, artistas nacionais reviveram as mais famosas canções de Renato Russo acompanhados pela Orquestra Sinfônica de Brasília, comandada pelo maestro Cláudio Cohen, um antigo sonho do cantor e compositor brasiliense que ganhou vida perante um público de 45 mil pessoas.

O espetáculo começou sem atrasos. A abertura foi feita pela cantora Sandra de Sá, que interpretou a música Mais do Mesmo. Em seguida, o vocalista da banda de Brasília Móveis Coloniais de Acaju, André Gonzales, levou o público com a canção Ainda é Cedo. Zélia Duncan, Jorge Du Peixe, Ivete Sangalo, Fernanda Takai e Elen Oléria também prestaram suas homenagens.

“Alô, Brasília, essa revolução nasceu aqui! Essa festa só podia ser aqui!”, disse Zélia Duncan após a apresentação.

A conhecida composição Pais e Filhos, que já ganhou diversas versões ao longo dos anos, ganhou nova leitura e emocionou nas vozes de Zizi e Luiza Possi. O cantor Lobão surpreendeu com a música Perfeição e teve o apoio da plateia. A grande surpresa da noite foi Jerry Adriani com a canção Tempo Perdido, que foi acompanhada pelos passinhos caricatos de Renato Russo.

Os artistas da noite não se limitaram aos cantores. As apresentações instrumentais, incluindo Hamilton de Holanda, e as palavras de Fabrício Boliveira, protagonista do filme Faroeste Caboclo, permitiram maior interação do público, que cantou os sucessos dos anos 80 acompanhados apenas pelas cordas de violinos e bandolins e participou de momentos importantes, como o pedido de silêncio em nome das vítimas dos protestos que aconteceram nos últimos dias.

A história de Santo Cristo foi interpretada por Alexandre Carlo, vocalista da banda brasiliense Natiruts. Na sequencia, a linha nostálgica foi mantida pela criação do holograma que permitiu uma projeção inédita do cantor homenageado no palco do Mané, onde Renato fez o último show na Capital Federal.

Para a surpresa do público, o ex-baixista da banda, Renato Rocha, subiu ao palco para fechar o espetáculo junto aos 14 artistas na canção Será. Em seguida, Renato Rocha atendeu aos pedidos dos fãs e cantou Que País é Esse.

O show Renato Russo Sinfônico foi a estreia do espaço como arena multiuso, que ainda receberá cantores como Beyonce e Aerosmith nos próximos meses.