Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
21/08/13 às 17h45 - Atualizado em 21/08/13 às 19h15

Comitiva inspeciona Brasília como candidata ao 8º Fórum Mundial da Água

COMPARTILHAR

Cidade recebe dirigentes do Conselho Mundial da Água que analisarão a capacidade da capital brasileira para receber o evento em 2018

De 21 a 23 de agosto, quatro dirigentes do Conselho Mundial da Água estarão em Brasília com o objetivo de atestar a infraestrutura e serviços da cidade para receber o 8º Fórum Mundial da Água em 2018. Em março de 2012 Brasília lançou oficialmente sua candidatura para sediar o Fórum que é o mais importante evento sobre o uso consciente dos recursos hídricos do mundo.

Na manhã desta quarta-feira (21), os diretores-presidentes da Agência Nacional de Águas (ANA), Vicente Andreu Guillo e Paulo Varella (também governador do Conselho Mundial da Água), e da Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal (ADASA), Vinicius Benevides, junto com o secretário de Turismo do Distrito Federal, Luis Otávio Neves, e outros do membros do GDF receberam a comitiva na sede da ANA, onde apresentaram formalmente, junto com a Seção Brasil, a candidatura de Brasília.

Durante os três dias da visita de inspeção, os representantes do Conselho Mundial da Água conhecerão o Centro de Convenções, o Estádio Nacional Mané Garrincha, principais locais propostos na candidatura para 2018, além da oferta de hospitalidade, cultural e turística da capital federal. Os conselheiros terão reuniões com o Governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, com a Ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira e com parlamentares da comissão de meio ambiente do Congresso Nacional e da Câmara Legislativa do Distrito Federal.

As articulações para trazer o evento para Brasília acontecem desde 2012, na edição do evento em Marselha, na França, da qual a Setur-DF participou divulgando o destino Brasília como cidade de negócios e eventos. Na ocasião autoridades, entidades, agências reguladoras e empresas brasileiras e mundiais discutiram a viabilidade e vantagens de realizar a 8ª edição do Fórum no Brasil, em Brasília.

Desde então se ressalta que o Brasil tem 12% do total mundial do volume de água doce, possui a legislação e um setor estruturado com políticas e práticas referentes à gestão dos recursos hídricos. Sem contar que há anos existe uma sensibilização cada vez maior dos segmentos da sociedade e dos setores técnico, político, acadêmico e privado pelas ações de conservação, proteção, desenvolvimento, planejamento, gestão e uso eficiente da água.

“Acreditamos que Brasília, como capital do país e Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO, é o local ideal para realização do Fórum tanto por sua importância política como por suas características urbanísticas. Estamos entre três das maiores bacias hidrográficas do país, e sabemos que a cidade atende a todos os requisitos logísticos e operacionais para a realização do evento”, explica o secretário de Turismo do DF, Luis Otávio Neves.

O Fórum Mundial da Água reúne pesquisadores, especialistas e autoridades de 147 países, totalizando um público de aproximadamente 35 mil visitantes. Os temas debatidos no evento giram em torno de alternativas para o aproveitamento racional e sustentável do recurso.

Caso a candidatura seja vencedora para 2018, o Brasil será o primeiro país da América Latina a sedia-lo. Os países que competiam para sediar o Fórum em 2018 eram Brasil/Brasília, Rússia/Moscou, Qatar/Doha e Dinamarca/Copenhagen, tendo sido aceitas apenas as candidaturas de Brasília e Copenhagen. As sedes do Fórum Mundial da Água foram Istanbul (2009), México (2006), Kyoto (2003), The Hague (2000) e Marrakech (1997). O Fórum Mundial da Água de 2015 será em Daegu na Coréia do Sul.