Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
14/11/13 às 12h42 - Atualizado em 11/10/17 às 16h45

Dia mundial do diabetes tem iluminação especial em Brasília

COMPARTILHAR

Ação com monumentos e rede de drogarias pretende chamar atenção da população para prevenir a doença

No dia 14 de novembro se celebra o Dia Mundial de Combate ao Diabetes, e, em homenagem à data, a Associação de Diabéticos de Brasília e a Sociedade Brasileira de Diabetes Regional DF (SBD DF), em parceria com o Governo do Distrito Federal, iluminarão na cor azul o Palácio do Planalto e o Templo da Boa Vontade, além de duas redes de drogarias.

A iniciativa é realizada com objetivo de chamar a atenção para a importância da prevenção da doença, que afeta mais de 13 milhões de brasileiros, sendo destes 130 mil brasilienses.

O 14 de novembro foi escolhido como o Dia Mundial do Diabetes por ser a data de nascimento do cientista Frederick Banting, que juntamente com Charles Best, conceberam a ideia que levou ao descobrimento da insulina. Desde então o medicamento vem sendo usado para tratar diabéticos de diferentes níveis, mas a prevenção e a conscientização ainda são os maiores aliados no combate a enfermidade.

Segundo a Secretaria de Saúde, o alerta à prevenção é realizado nos 66 centros de saúde, durante todo o ano, com o apoio da SBD DF por meio de convênio técnico científico, pela Coordenação Central do Diabetes, que executa de ações educativas.

Em 2013, por exemplo, o forte dessa ação foram as diversas capacitações e treinamentos em diabetes para os 736 profissionais que integram as equipes multiprofissionais da atenção básica de saúde, ou seja, os profissionais que atuam nos centros, postos e unidades do Programa Saúde da Família.

Eles foram capacitados para orientar e estimular hábitos de prevenção, entre eles, alimentação equilibrada e adequada, o que deve estar aliado à prática de exercícios físicos regulares.

Neste ano, também foi lançada a capacitação em pé diabético “Passo a Passo”, para o cuidado de pessoas que convivem com a doença em um nível de glicose descontrolado, mas que podem evitar as incapacidades e amputações. O projeto, em parceria com a Sociedade Brasileira de Diabetes Regional DF, capacitou 58 profissionais em 14 regionais de saúde.