Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
1/03/21 às 19h43 - Atualizado em 1/03/21 às 19h48

Dia Nacional do Turismo Ecológico: DF oferece opções de lazer em meio à natureza e conscientização ambiental

COMPARTILHAR

 

 

Você sabia que o turismo ecológico tem um dia próprio? A data é celebrada hoje, 1º de março, com o objetivo de estimular a consciência ambiental de todos. A modalidade consiste na visita de áreas naturais de forma sustentável, promovendo experiências únicas com a natureza, ao mesmo tempo em que incentiva a sua preservação e proteção de seus atributos: a fauna, a flora, a água, a paisagem, a geologia, a história e a cultura local, promovendo ainda o bem-estar da população.

 

E falar de turismo ecológico no Brasil é vivenciar, de forma consciente, suas maravilhas em meio a florestas naturais, parques, rios, praias e tantas outras belezas naturais que colocam o nosso país em reconhecimento mundial neste segmento. De acordo com os dados, o Ministério do Turismo estima que 16,3% dos visitantes internacionais que estiveram no Brasil a lazer em 2018 foram motivados por natureza, ecoturismo ou aventura, o que representa quase 1,1 milhão de estrangeiros.

 

E se o Brasil é destaque no segmento, o Distrito Federal também encanta com suas belezas em meio ao cerrado, segundo maior bioma da América Latina, oferecendo diversos atrativos que envolvem a prática de ecoturismo, além das belezas naturais que só a região proporciona. Para ter uma ideia da dimensão, o DF possui mais de 70 parques ecológicos e urbanos, além de outras 22 unidades de conservação de proteção integral ou de uso sustentável. Atrações, inclusive, que atendem à demanda atual de segurança contra a Covid-19, seguindo todos os protocolos de distanciamento social e higiene, em meio a belezas naturais.

 

Visitar o Lago Paranoá, sentir o perfume dos nossos parques, cachoeiras, percorrer trilhas em meio à vegetação preservada… Brasília é um convite a desfrutar a natureza e o turismo ecológico é fundamental para a preservação desse ecossistema no nosso DF, além de promover mais qualidade de vida para moradores e visitantes, principalmente neste momento de pandemia. E o esforço do nosso Governo no estímulo, estruturação e preservação dessas atividades vem trazendo resultados significativos. Tanto que o turismo em meio à natureza é um dos destaques da nossa capital para a retomada do setor em meio à pandemia e vem contribuindo para colocar Brasília no topo dos destinos turísticos tendência de 2021, segundo levantamento realizado pelo Ministério do Turismo”, explica a Secretária de Turismo do DF, Vanessa Mendonça.

 

Entre as opções para a prática da modalidade no DF está o Parque da Cidade Sarah Kubitschek, um dos maiores parques urbanos do mundo e o maior da América Latina. Esse extenso centro de lazer ao ar livre oferece aos seus visitantes quadras de esporte, pista de caminhada, ciclovias e trilhas por seus bosques com árvores nativas. “Somos um ponto de encontro de várias tribos, com atividades e interesses diferentes, mas que coexistem em harmonia em um cinturão verde no meio da capital do país”, afirma Silvestre da Silva, administrador do Parque da Cidade. Ele destaca ainda a importância de ações para conscientização ambiental que o espaço vem promovendo. “São iniciativas que incluem descarte e separação correta dos tipos de lixo, sempre atreladas às ações educacionais; mutirões de limpeza de áreas específicas e troca do lixo recolhido por mudas nativas do cerrado”, afirma Silvestre, que alerta ainda para o uso consciente do Parque, seguindo as medidas de segurança contra a Covid-19. “E neste momento de pandemia, é importante ainda lembrar a todos dos protocolos de segurança, como uso de máscara, bem como não aglomerar e ter cuidados básicos com higiene”, completa.

 

O atrativo chamou atenção de Valdineia Ramos. Moradora do Espírito Santo, ela veio visitar a família no DF e aproveitou a estada para se reconectar com a natureza em meio à cidade. “O parque é lindo e nos proporciona uma experiência única com tanto verde. Me chamou atenção justamente essa conscientização ambiental e o cuidado com o lixo. Aqui é tudo muito limpo e as pessoas que cuidam estão de parabéns”, destacou.

 

Parque da Cidade Sarah Kubitschek. Foto: Gustavo Alcântara/Setur-DF

 

Ainda dentro do DF, o Parque Nacional de Brasília é uma boa escolha para quem deseja praticar o ecoturismo e se aventurar em trilhas de pequena e média dificuldade. Elas estão permitidas para atividades em meio à pandemia e a natureza do local também é um show à parte. Repleta de vários tipos de vegetação e de uma diversificada fauna, a unidade de conservação abriga espécies raras ou ameaçadas de extinção, tais como lobo-guará, tatu-canastra, tamanduá-bandeira e a jaguatirica.

 

Destaque ainda para a Floresta Nacional de Brasília, local no qual os praticantes do turismo ecológico têm a maior trilha sinalizada para a prática esportiva de ciclismo em unidade de conservação do país. Ao todo, são aproximadamente 136 km de percursos contínuos e sinalizados. O percurso faz parte dos 400 km de trilhas na capital, mapeados pela iniciativa Caminhos do Planalto Central, que dividiu os trajetos em arcos, levando em conta a diversidade e riqueza do território do DF, sempre com o cuidado ambiental em primeiro lugar. “Nossa intenção é justamente criar espaços de esporte, lazer e cultura, valorizando o território de conservação da natureza no DF. É conectar paisagens belíssimas do nosso cerrado com a promoção de boas práticas de conservação, proporcionando ainda ao turismo geração de mais emprego e renda. Tudo isso alinhado à sustentabilidade do meio ambiente, valorizando a imagem da capital do país para o Brasil e o mundo”, concluiu João Carlos Machado, que faz parte da equipe que coordena o projeto Caminhos do Planalto Central.