Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
6/11/13 às 18h52 - Atualizado em 6/11/13 às 18h56

Museu de Ciências Naturais do Zoológico de Brasília conta com novo espaço

COMPARTILHAR

A previsão para inaugurar o novo espaço na capital é para o dia 12 deste mês

O novo espaço do Museu de Ciências Naturais do Zoológico de Brasília recebeu visita técnica que contou com a presença do governador em exercício Tadeu Filippelli, nesta quarta-feira (6), antes da inauguração prevista para a próxima semana.

“Nessa pequena obra, pude constatar o grande esforço de toda a equipe do zoológico não só no museu como em toda a área. Gostei muito do que vi. É visível o cuidado com a limpeza e organização, e, além disso, fiquei surpreso em saber que as visitas triplicaram nessa gestão do governo”, afirmou Filippelli.

O novo espaço contou com investimentos da ordem de R$460 mil, e substitui o antigo que funcionava desde 1994. Após a visita, o governador em exercício caminhou pelo zoológico para conhecer outras áreas como o recinto da sucuri e do jacaré, a cozinha destinada à nutrição dos animais e o hospital, todas recém-reformadas. “É surpreendente ver de perto todas essas mudanças e perceber a simplicidade e perfeição das instalações”, disse.

“Estamos finalizando os detalhes para entregarmos em grande estilo à população”, disse o diretor de Museologia do Zoológico, Paulo Franco.

De acordo com o Catálogo do Instituto Brasileiro de Museus de 2011, existem em Brasília cerca de 60 museus. Para o secretário de Turismo do Distrito Federal em exercício, Geraldo Bentes o espaço que já recebia uma média de 75 mil visitantes por mês é um atrativo para o brasiliense e o turista da capital e com um espaço revitalizado o número poderá aumentar. “Os visitantes podem conferir um vasto material exposto. Além de ser uma oportunidade de conhecimento para crianças e adultos”, disse.

Os visitantes têm a oportunidade de conhecer no local, várias técnicas como a taxidermia, arte de montar ou reproduzir animais para exibição ou estudo; a osseotécnica, que é a montagem de esqueleto; e a exposição de peças em meio líquido. “Além da ampliação da área de visitação, melhoramos a exposição do acervo e padronizamos as placas informativas”.

E nem precisou estar completamente pronto para alegrar os olhos de Augusta Neves, de 12 anos. Acompanhada da turma da escola, ela visitou o museu e se encantou com os grandes animais empalhados e esqueletos em exposição. “Aqui posso ver o leão mais de pertinho do que na jaula. Mesmo ele estando morto é muito legal”.

Ele citou também outro projeto do seu setor, que é a exposição itinerante, iniciativa que leva parte do acervo do museu até a população na área externa do zoo. Para que as escolas, shoppings e outras instituições possam ter acesso a essa ação, segundo o diretor, basta entrar em contato com a fundação e agendar o evento.

*Com informações da Agência Brasília