Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
12/06/13 às 19h53 - Atualizado em 11/10/17 às 16h44

Palácios do Planalto e Alvorada alterarão visitação para a Copa das Confederações

COMPARTILHAR

Atrativos abrirão em horários especiais para atender aos torcedores

Os turistas e brasilienses que quiserem conhecer a Residência Oficial e a Sede do Poder Executivo Federal terão oportunidades mais amplas. A Secretaria Geral da Presidência da República informou que os palácios da Alvorada e do Planalto receberão visitantes em horários diferenciados no período da Copa das Confederações.

Nos período de 10 a 14 de junho, o Palácio da Alvorada estará aberto para visitação pública, das 15h às 17h. Normalmente, as visitas ocorrem apenas às quartas-feiras. Já o Planalto, aberto somente aos domingos, funcionará também no sábado, 15 de junho, das 9h30 às 14h.

Atrativos

A Residência Oficial da Presidência da República foi inaugurada em 1958 e está localizada às margens do Lago Paranoá de onde é possível tem uma bela visão da paisagem verde de Brasília. Projetado por Oscar Niemeyer, é uma das mais importantes edificações do modernismo arquitetônico brasileiro e o primeiro prédio construído em alvenaria na nova capital. O local abriga importantes obras de arte, como a escultura “As Laras” e peças em madeira policromada e bronze esculpidos, pintura em madeira e sobre tela, além de artigos em tapeçaria. Os visitantes também podem entrar em áreas como os salões oficiais e a piscina da residência.

O Palácio do Planalto é a sede do Poder Executivo Federal, local onde está o Gabinete Presidencial do Brasil. Está situado na Praça dos Três Poderes em Brasília e foi o centro das comemorações da inauguração de Brasília. O acervo do Palácio do Planalto reúne obras de arte criadas por artistas consagrados, brasileiros e estrangeiros, entre pinturas, esculturas e tapeçarias. Algumas peças foram criadas exclusivamente para o Palácio, como a tapeçaria Músicos, de Di Cavalcanti, que recebeu a incumbência do arquiteto Oscar Niemeyer, autor do projeto do prédio. Possui, também, um rico mobiliário, porcelanas da Companhia das Índias e prataria portuguesa do Século XVIII.