Governo do Distrito Federal
6/02/22 às 12h48 - Atualizado em 6/02/22 às 12h53

A verdadeira indústria no Brasil é o Turismo

A secretária de Turismo do Distrito Federal afirmou, nesta sexta-feira, que a verdadeira indústria no Brasil é o Turismo e que “quanto mais rápido defendermos essa realidade, mais forte seremos”. Essa ação foi defendida por ela em entrevista à Rádio Sucesso News, ao jornalista Celson Bianchi.

 

Para Vanessa Mendonça, o Brasil tem vocação para o turismo, pois é possível explorá-lo, independente da estação, nos 365 dias do ano. Os números provam: em 2019, o turismo movimentou US$ 8,9 trilhões, contribuindo com 10,3% do PIB global e com a geração de 330 milhões de empregos em todo o mundo. “E essa é uma área em que o Brasil precisa continuar sob um novo olhar”, sinalizou a gestora da Setur/DF.

 

Em 2021, o setor de turismo foi responsável por uma movimentação de R$ 130 bilhões no Brasil, em plena pandemia. O crescimento, em relação a 2020, foi de 16%, de acordo com balanço feito pela Federação do Comércio de São Paulo. Em Brasília, o crescimento foi de 21%, movimentando R$ 45 milhões.

 

“Brasília era conhecida por ser uma cidade administrativa e sem muitos atrativos, o trabalho que tem sido feito pela Setur/DF, mudou completamente a visão em relação à Capital Federal”, afirmou Vanessa Mendonça. Ela cita números para comprovar suas ações. “Segundo levantamento divulgado pelo Google, a cidade está em 4º lugar no ranking de destinos mais procurados entre os brasileiros. A pesquisa é global e a capital ficou atrás apenas de Londres, Rio de Janeiro e São Paulo”, disse a gestora da Setur/DF.

 

O trabalho desenvolvido pela Secretaria de Turismo do Distrito Federal, ressignificando a capital brasileira, vem refletindo em diversas partes do Brasil e do mundo. Vanessa Mendonça explicou que por determinação do governador Ibaneis Rocha, reposicionou a cidade. “Colocamos Brasília no seu verdadeiro lugar de Capital do Brasil. A cidade estava abandonada no turismo, hoje somos a oitava cidade tombada como Patrimônio Mundial Cultural mais fotografada do mundo no Instagram”, disse a Secretária.

 

ENTREGAS

 

Para Vanessa Mendonça, as conquistas e maior visibilidade de Brasília são fruto das entregas, que têm repercutido positivamente e na capacidade receptiva do turismo do DF aos turistas do Brasil afora e do exterior. “Brasília é um hub nacional com o Aeroporto JK, único com voos diretos para todas as capitais do país. E único em capitais do mundo com acesso direto ao centro da cidade em apenas 15 minutos”, comemora a secretária.

 

Brasília é o terceiro polo da gastronomia nacional e o quarto polo de hospedagem rural no país. O Lago Paranoá foi escolhido pelo Instituto Brasileiro Turismo entre os cinco melhores lugares do Brasil para atividades aquáticas e a Rota Brasília Capital do Rock foi classificada, também pela Embratur, como “case nacional” de turismo. “A repercussão dessa rota foi internacional, por meio da Rede CNN, que citou a cidade como uma das três únicas no mundo a ter uma rota turística dedicada ao Rock n’ Roll”.

 

A Secretária de Turismo do DF lembrou ainda que o Programa Turismo Cívico Pedagógico já está em sete municípios de seis estados: Maranhão, Ceará, Pernambuco, Goiás, Minas Gerais e Rio de Janeiro. “São ações de promoção de Brasília como capital do país, cujo público são os estudantes e professores de escolas públicas, trazendo patriotismo e civismo desde as primeiras idades”, disse Vanessa Mendonça.

 

ARTESANATO

 

Ela destacou o artesanato com papel primordial tanto no âmbito social e cultural, quanto na geração de emprego e renda.

 

Artesãos de Brasília já estão exportando suas peças para a Europa e Estados Unidos e, recentemente, participaram simultaneamente de duas importantes feiras realizadas no Brasil: A Fenearte, maior feira de artesanato da América Latina, em Olinda (PE) e a 32ª edição da Feira Nacional do artesanato, em Belo Horizonte (MG). “Isso foi possível porque nós conseguimos dois caminhões para o artesanato, a duras penas. Esses veículos buscam as peças na casa do artesão e entregam no lugar da exposição. Resgatamos a importância do artesanato para o turismo no DF”, avalia a gestora do turismo local.

 

Nos três anos à frente da Setur, Vanessa Mendonça provocou um crescimento de 72% na base cadastral da categoria. Foram mais de 7 mil artesãos cadastrados no período. Hoje, a Setur-DF gerencia um departamento voltado exclusivamente para o artesanato, “por determinação do governador Ibaneis Rocha”, complementa a Secretária. Ela informa que os quase dois mil artesãos beneficiados com participações nas 100 feiras realizadas pela pasta no mesmo período, movimentaram R$ 2,5 milhões. “Isso é geração de emprego e renda, resgata pessoas para a sociedade, tira gente das ruas, promove a dignidade das famílias, principalmente das mulheres. O artesanato é a alma do turismo. Quando alguém viaja, é uma peça de artesanato que leva para casa, para decoração ou presentear amigos e parentes”, define Vanessa Mendonça.

 

VISIBILIDADE

 

A secretária de Turismo do Distrito Federal disse que Brasília está revolucionando o posicionamento para atrair turistas. Ela destaca que as férias de verão de 2022 representam um grande reflexo na vida de visitantes a Brasília, por causa da maior visibilidade que a cidade ganhou desde 2019, quando ela assumiu a Setur-DF. “Uma pesquisa da plataforma de vendas de pacotes on line Max Milhar, revelou que os brasileiros querem segurança e locais abertos para viajar. Isso posicionou Brasília como a segunda capital sem praia mais procurada do país e a sétima na preferência geral, superando Natal e João Pessoa”, celebra Vanessa Mendonça.

 

“Vemos o turismo com novo olhar e isso está atraindo mais visitantes. Há 15 anos recebemos os mesmos seis milhões de turistas estrangeiros”, destaca a secretária. “É urgente mudar essa realidade, o turismo de Brasília, por exemplo, ganha força a cada ano e os brasileiros precisam conhecer o palco das principais decisões da vida política, econômica e cultural do seu país”, finaliza Vanessa Mendonça.