Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
17/09/21 às 18h57 - Atualizado em 17/09/21 às 18h57

Hoje é dia do Turismo Rural

COMPARTILHAR

Data surgiu por meio da Lei nº 6.504/2020, de autoria do deputado distrital Roosevelt Vilela e objetiva fortalecer e impulsionar o turismo do Distrito Federal

 

Secretária de Turismo do DF, Vanessa Mendonça, visita na Fazenda Confiança, Fercal. Foto: Renato Braga/Setur-DF

 

Brasília possui uma data específica para celebrar o turismo voltado para os empreendimentos rurais da região. O setor registrou um crescimento de 30% durante a pandemia, se destacando como ponta de lança da economia criativa e do agronegócio, segundo levantamento do Sindicato de Turismo Rural e Ecológico do Distrito Federal e Entorno (Ruraltur).

 

“Brasília tem a agricultura e a pecuária no seu DNA. Da área total do DF, 70% estão estruturadas para o turismo rural. Essa característica faz da cidade o quarto polo nacional do segmento”, ressalta a secretária de Turismo do DF, Vanessa Mendonça, apontando dados do Ministério do Turismo.

 

“O nosso trabalho no turismo rural tem gerado em cada um dos pequenos empresários a convicção de que, pelo turismo, podemos trabalhar pelas novas gerações e perpetuar o negócio familiar. Nesse sentido, a Secretaria de Turismo tem trabalhado diuturnamente para ressignificar essas propriedades por meio de um novo olhar de estruturação, qualificação e promoção”, finalizou a secretária de Turismo.

 

“Como Presidente da Frente Parlamentar da Agricultura, Pecuária e Hortifrutigranjeiro, da Câmara Legislativa do DF, reafirmo o meu compromisso com o setor e ressalto que não mediremos esforços para alavancar a área rural de nossa cidade”, disse o deputado Roosevelt Vilela. Ele explica que os brasilienses têm buscado estes destinos para o lazer visando tranquilidade em contato com a natureza. “É uma forma de sair da rotina, sem sair de Brasília.

 

Consciência ecológica

 

Secretária de Turismo do DF, Vanessa Mendonça, na Cachoeira Tororó. Foto: Renato Braga/Setur-DF

 

Além disso, o maior contato com a vida no campo e as experiências decorrentes dela  despertam a consciência e a compreensão ecológica nas pessoas”, complementa a Secretária de Turismo.

 

Hoje, somente no Ruraltur, existem 30 empreendimentos cadastrados que recebem visitação e oferecem hospedagem e estão espalhados por oito regiões administrativas. São elas:  Lago Oeste, Brazlândia, PAD-DF, Gama, Paranoá, Planaltina, Ceilândia, Formosa, Lago Norte e São Sebastião.

 

“Nossa área rural oferece muitas riquezas naturais, fazendas, espaços para eventos e culinária típica para encantar os turistas. Estive recentemente no projeto Viva Lago Oeste e destaco também o importante complexo de empreendedorismo ecológico que está erguido ali, lembrou Vanessa Mendonça.

 

“A Secretaria de Turismo do DF está atenta a toda a movimentação dos empresários que investem no segmento rural, seja pela hospedagem, aventura, gastronomia ou lazer e vem desenvolvendo instrumentos que facilitem o acesso e o conhecimento destas opções ao público interno e externo. Hoje, nossas rotas do enoturismo, turismo rural, contemplação, aventura e gastronomia, passam essencialmente pelos empreendimentos rurais”, afirma Vanessa Mendonça.

 

Permanência no campo

 

Comemorando a importante data para o turismo do DF, a Secretária felicitou os empreendedores do Distrito Federal que apostam no Turismo Rural como alternativa econômica criativa e sustentável para a geração de emprego e renda, bem como opção de lazer e diversão.

 

“Congratulo o deputado Roosevelt Vilela pelo Projeto de Lei que criou o Dia do Turismo Rural no DF, celebrado neste 17 de setembro e o presidente do Ruraltur, Fernando Mesquita, que vem apoiando e sendo parceiro em todas as iniciativas da Setur-DF para promover o turismo em nossa capital”, disse.

 

O turismo rural é um forte instrumento para o desenvolvimento sustentável do DF e as suas atividades são sempre empenhadas em valorizar a produção pecuária e agregar valores aos serviços e produtos do campo, resgatando, assim, a importância cultural e natural da região.